Secret War in Portugal [1939-1945]
For SOE [British Special Operation Executive] 24 Land was the code name for Portugal

Bill Bristow: My father Spy

O livro My Father the Spy chegou agora: apresenta-se como sendo memórias sobre o pai do autor, quando é, afinal, uma reedição da obra de seu pai, Desmond Bristow,  com quem me encontrei em 1993, em Escola Vieja, Periana, Málaga, Espanha, como relatei aqui. Para além do texto original daquelas memórias, publicadas em 1993 sob o título A Game of Moles [edição em castelhano do mesmo ano, sob o título Juego de Topos] há  mais uns acrescentos que o texto inicialmente publicado, por razões de segurança, não continha, e breves notas fruto do conhecimento pessoal que o filho foi coleccionando sobre quem era afinal o seu progenitor.
Para encontrar o pai, eu viajara de propósito a Periana [Málaga, Espanha], depois de ter lido uma carta sua ao director do Daily Telegraph , a partir da qual consegui localizar no sul de Espanha concretamente o local da residência. A carta que então lhe escrevi foi buscada no correio por um vizinho alemão, que lha levou em mão ao local onde ambos residiam, Escola Vieja. Bem humorado, ironizaria que ao lê-la e ao ver o timbre "abogado Lisboa" [como se exprimiu em castelhano, língua em que era fluente pois a família tinha-se radicado em Espanha desde há muito, o pai engenheiro de minas], perguntou-se se, tendo estado aqui durante a guerra não seria agora em nome de um qualquer filho, entretanto perfilado, que eu lhe estaria a escrever.
"Derry", como era conhecido, tinha trabalhado no Departamento Ibérico da Secção V do MI6, em Glenalmond, sob a supervisão de "Kim" Philby, ambos sob a direcção de Felix Cowgill. Tivemos então uma longa conversa lembrando os tempos em que tinha sido o agente Tapwater, chefe de estação em Madrid e Lisboa, com actuação em Gibraltar.
Na ocasião referiu-me que um dos filhos, "Bill", estava ligado à cinematografia, nos Estados Unidos da América, trabalhando então numa equipa de filmagem de Steven Spielberg.
Soube mais tarde  que Bill Bristow [nascido em 1955] estava a preparar um livro sobre o seu antecessor a a actuação do mesmo aos serviços secretos. Publicou-o em 2012. Eis o que estou a ler. 
Conclui pela leitura que, mesmo para a família, quem trabalha no mundo das sombras guarda segredo, além de que a idade faz estragos à memória. Já quando do encontro com seu pai, sua mãe, Betty Weaver, me deu conta que muitos dos livros que o marido publicara se deviam ao que ela se conseguia lembrar dessa vida em comum, que começou era o marido então tenente no British Intelligence Corps.
O tom da escrita é de espanto ante o que soube pelo livro e que em casa não se falava. Mas há nele, visto com minúcia, apontamentos curiosos.
O capítulo essencial sobre Portugal tem a ver com o encontro  secreto de  Iona ["Klop"] Ustinov, pai do actor Peter Ustinov, agente do MI5, com uma individualidade alemã e com a localização do agente catalão Juan Pujol Garcia que, sob a coordenação de Thomas Harris operaria no quadro da rede do XX Committee [U Board] como agente Garbo.
Obra em aberto, como todas sobre este tema, há nesta uma alusão que é um repto ao prosseguimento da investigação: «My Father always went on about the Spanish and Portugueses collaborators who quietly, secretly and invariably dangerously, helped the Allied cause amd received no thanks or commendations. They were, and are, amongst all those hundreds of unsung heroes from the never ending stories from World War 2».


Afonso Eurico Ribeiro Casais


Afonso Eurico Ribeiro Casais [1898-1957, Vouzela/Viseu].

Oficial do Exército

Inicia a carreira de oficial (1919);
Tenente (1923);
Capitão (1939);
Major (1947);
Tenente-coronel (1953);
Coronel (1955);
Comandante de Caçadores n.º 5 (1947-1955);
Comandante do Batalhão de Caçadores da Índia (1954-1955).

Foi o primeiro ajudante de campo de Santos Costa (1936)

Participa na reorganização da Legião Portuguesa de Casimiro Teles, enquanto subchefe do Estado-Maior do Comando Geral da Legião Portuguesa (1939)

Contacta, em nome da Legião Portuguesa, John Beevor, oferecendo os préstimos daquela milícia para a rede do SOE [rede Shell] no caso de um avanço alemão sobre a Península Ibérica que significasse uma invasão de Portugal, como descrevi no meu livro Traição a Salazar [ver aqui]

Deputado na IV e V legislatura [1945-1953]